quarta-feira, 15 de maio de 2013

Qual é a melhor maneira de cuidar dos prédios históricos?

Casarão no centro de Belém. Paulo Akira/ O Liberal

Em Belém a prefeitura está multando os donos dos casarões que estejam abandonados no centro da cidade. Será que essa é uma boa solução? Vamos supor que os proprietários dos imóveis tombados realmente façam as reformas nos edifícios. Se o donos dos casarões não estão muito convencidos da importância da preservação do patrimônio histórico será que a reforma será bem feita ou só uma "maquiagem" para evitar a multa? E a manutenção posterior? Será feita ou só quando a prefeitura ameaçar multar o proprietário novamente?

Continuando na suposição de que os casarões sejam reformados, se eles estiverem vazios, desocupados, sem um uso adequado qual é o sentido de preservar? Só para "compor a paisagem"? As grandes cidades brasileiras sofrem com a desvalorização dos centros e, se a região dos imóveis tombados não é vivida pelos seus moradores, se as pessoas não andam nas ruas, como manter os casarões úteis à cidade?

Todos habitantes tem um papel na preservação da patrimônio e da identidade cultural da cidade. Se a única solução for o governo impondo que os proprietários preservem os imóveis, provavelmente não vai dar certo, como não tem dado. Mas se a população como um todo, incluindo os proprietários dos casarões, se conscientizar da importância desses edifícios e da revalorização do bairro no entorno aí sim pode ser que funcione. O poder público incentivando e guiando as reformas, o proprietários percebendo que todo dinheiro investido na manutenção da cidade retornará à ele multiplicado e por fim, toda a cidade que terá a auto-estima elevada, reflexo de seus habitantes. Afinal, qual o sentido de existir uma cidade sem identidade?

Para saber mais:

Notícia no G1
http://g1.globo.com/pa/para/noticia/2013/05/donos-de-casaroes-abandonados-podem-ser-multados-em-belem.html